solidão

Foto de Arnault L. D.

Palavras sombrias

É preciso apagar as luzes
para qu’elas possam sair,
são as palavras noturnas.
Rompendo as covas e cruzes,
quando o breu as sobrevir
abrem elas suas urnas.

Foto de Arnault L. D.

Verniz

As cordas mudas de meu violão,
as lágrimas secas no olho meu,
encobrem melancólica canção
que ecoa no funda d’alma o breu.
Oca, silente, não feita ao clarão.

Foto de ArielFF

a bailarina

A bailarina
Em cima da caixinha
A girar, a girar
Em sua dança sem par

Com seu vestido rosinha
Os pés bem na pontinha
A bailarina
Só sabe dançar

Foto de ArielFF

Saudar o dia

Passei um café
Pra saudar o dia
Mas ninguém veio
Eu saudei sozinha

Foto de Arnault L. D.

Cantares íntimos

Minha poesia é tão íntima
que ela sequer possui a voz,
só fala aos olhos, sem palavras.
Nunca tento recitar a rima,
apenas teço aqueles versos sós
e esqueço ser minhas as lavras.

Foto de Avila Monteiro

Noites frias

Noites frias como estas
São noites de solidão
Noites que não se acabam
Que estraçalham meu coração.
Pois lembro da sua voz
Lembro da nossa canção

Foto de ArielFF

Poema de pôr-de-sol

O pôr-do-sol, daqui,
é avermelhado
É distante,
tem silhueta toda de telhado

Foto de Arnault L. D.

Agora que ela se foi

Agora que ela foi embora
e levou consigo a ventania,
posso as janelas todas abrir.
Posso perder a linha, a hora,
as cortinas, o vaso, o dia,

Foto de Desouza

VIAGENS E CONTRASTES

Tenho o mundo em minhas mãos, e nada ao mesmo tempo
Face de leão, dentes afiados, e uma alma tão pacata
Sou tudo em minha mente, mas por fora, quem eu sou?

Foto de Arnault L. D.

Sombrio

Os galhos se esticam,
planta buscando a luz.
O claro é sua opção.
Vez, a ela, me propus.

Páginas

Subscrever solidão