Blog de Edson Milton Ribeiro Paes

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"ENTREGA ESPECIAL"

ENTREGA ESPECIAL

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"VONTADE DE AMAR"

Vontade de amar

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"SORO POSITIVO"

SORO POSITIVO.

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"ALMA GEMEA"

ALMA GEMEA

Lembrar da pessoa amada
Não é o suficiente
Fazer parte de um conto de fadas
Também não é o bastante

Para ser sua cara metade
Tem que respirar o mesmo ar
Respeitar sua individualidade
Sem ao menos precisar se afastar

Num toque de mão num piscar de olho
Tudo se resolve tudo se encaixa
Até o que visto não sou eu que escolho
Pois o que ela decide é o que melhor se adapta

Tudo o que gostamos
Nem precisamos falar
Apenas compartilhamos
Sabemos que vai combinar

E assim vamos vivendo
Pensando em viver bem
Somente o que queremos

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"CANTO MEU"

CANTO MEU

Eu quero um canto...
Que possa guardar tudo que amo...
Aonde possa me refugiar em momentos de dor...
Onde possa acariciar o meu amor!!!

Eu quero um canto...
Aonde o grito não seja ouvido...
E o choro não seja notado...
Onde o riso fique escondido...
E o prazer seja alcançado!!!

Eu quero um canto...
Um canto só meu...
Que seja o meu ninho...
Que acompanhado ou sozinho...
Sinta-me acariciado!!!

Eu quero um canto...
Longe de tudo e de todos...
Que o silêncio me abrace...
E a madrugada seja cúmplice...
Que dali saia fortalecido...

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"VIDA DE ARTISTA"

VIDA DE ARTISTA

Nem só de gloria vive João, pois há de se prover o pão.
Numa luta incessante, João não tem tempo o bastante.
Para ser um esportista, nem tão pouco um artista.
Pois aos seus precisa acolher
Com seus parcos vencimentos, sem lamurias ou lamentos.
Aos seus dar o que comer
Nem só de gloria vive João
Não adianta o estrelato, pois é como cidadão comum.
Que João se sente frágil, não importa ser hábil bonito ou ágil.
E é no anonimato, que João sente a realidade.
Pra que tanta vaidade, se os seus não estão amparados.

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"FILHA DO PECADO"

FILHA DO PECADO

Num berço de cetim atrás de um botequim
Foi onde ela nasceu
Com o destino traçado, com o presente estragado.
Assim ela cresceu.

Sua mãe de cama em cama
Com a profissão de mulher dama
Tudo lhe ensinou
Na sucessão de sua sina
Deixou de ser menina
E o oficio da mãe rejeitou.

Desprovida de amargura
Ela fez corte e costura
E num ateliê se empregou
Conheceu gente importante
Um milionário falante
Que o mundo lhe ofertou.

Sem tocar no seu belo corpo
Esse homem depois de morto
Sua fortuna lhe deixou
Agora rica e bonita

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"CONFRARIA DO BOTECO"

CONFRARIA DO BOTÉCO

Desfraldei a bandeira de homem notável
Joguei fora a roupa de bom cidadão
Recusei o titulo de venerável
E nunca mais fui a nenhuma reunião

Me juntei a turma do boteco da esquina
E descobri que antes era muito desleal
Aqui ninguém paga e nem recebe propina
O que nos interessa é viver como gente legal.

Aqui mulher de amigo é nossa comadre
E o respeito é considerado normal
Lá na soçaite é tudo traira e covarde
E aqui sou tratado como um general.

Meu amigo tenho vergonha de ter pertencido
Aquela turma tida como gente bacana

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"COMPROMISSO"

COMPROMISSO

O fardo pesado que hora carrego
Representarão plumas no fim da jornada
Aos desígnios do mestre agora me entrego
Só ele sabe o tamanho da minha estrada.

Tentações já não mais me abalam
As privações me fortalecem
Os problemas me revigoram
E meus propósitos não esmorecem.

Vou cantando e seguindo este longo caminho
Vez ou outra escorrego, mas aprumo e não caio
De cabeça erguida sigo meu destino
Não aceito proposta daqui eu não saio.

A minha frente caminha o filho do criador
E seus passos insisto em continuar a seguir

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

"MENTE ABERTA"

MENTE ABERTA

Houve um dia que acordei achando tudo muito novo
E isso muito me agradou,
A casa, as ruas, as pessoas se tornaram mais bonitas.
E isso também me agradou.

Quando a noite chegou percebi que havia algo de novo
E isso aguçou minha curiosidade
Parei, e escutei o som do silencio.
E ele me trouxe uma novidade.

Olhando para o infinito, senti que saia do chão.
O céu vinha a meu encontro
Milhões de imagens, e num imenso clarão.
Vi-me nascer de novo.

Turbilhões de sensações
Arrepios de alegria
Lagrimas de emoções
Reencontro com a família.

Páginas

Subscrever RSS - Blog de Edson Milton Ribeiro Paes