Frases e Citações

CONCURSO LITERÁRIO 2007 - PARTICIPAÇÃO

Foto de Ivy Gomide

.

SORRISOS MORANGOS RECHEADOS DE SUAVE VORACIDADE

.

Sentada no sofá, Helena elaborava projetos muitas vezes nunca realizados. Espremida entre as tarefas caseiras e o trabalho, fugia. Recolhia-se à seu mundo fabricado de pensamentos; ela sempre fora assim.
Assim como, perguntavam?
- Assim, ora! Assim dentro da caixa de madeira gasta difícil de abrir. Apertava de um lado, de outro até que soltava uma brecha. Por fim no trampo, espocava rugindo e pulava (a tampa).
Helena era isto: misto de obrigações irredutíveis com desejos fortemente resguardados.
Era um exemplo de mulher!
Resolvia pendências e mantinha a casa com toda organização necessária para que nada faltasse.
No silêncio de seu Eu, ficavam as esperas acumulando poeiras difíceis de serem removidas. Esses desejos possuíam uma beleza ímpar.
Suaves e delicados, poderiam ser comparados a uma sublime jarra de cristal com vermelhos morangos criteriosamente arrumados. De um lado a ponta vermelha repousando e do outro as folhinhas verdes bordando a barra da saia. Deliciosamente convidativos a voracidade.
Na fome, roubava alguns...Mas por quê faço um comentáriozinho tão ridículo diante desta beleza exuberante? Diante da intensidade com que Helena guarda íntimos sentimentos?
Voltemos ao tema. Vejo Helena com seu sorriso rosa pétala esvoaçado nos cabelos. Nem triste, nem alegre, pois quem tem seus pensamentos mesmo que guardados num mundo a parte, tem saberes e sabores como torta de chocolate meio amargo, desenhado com branco, tênue e romântico chantilly.
Na rua os ruídos irritantes gritavam nas buzinas, na fumaça, e nos corredores da morte em vida. Corria-se.
Helena nunca conseguiu compreender o motivo torpe desse desgaste emocional, mas aceitava. Tinha por hábito dizer :--“...A vida precisa se alimentar do nada... Esse nada mora desumanamente na inexistência das vidas...”. Ninguém conseguia compreender vírgula do que aquela mulher aparentemente comum, explicava. No ar soprava apenas o mistério e as pessoas pensavam: – Ela é brilhante, profunda, inteligentíssima!
Diante de sua caixa, onde as rosas de cabeça baixa realizavam intensa meditação em momento de intimismo; Helena tapava a boca com uma intrigante vontade de rir... Aiiiii! Pensava: - “...As pessoas precisam apenas de uma gota de suor pra acreditar que o temporal está prestes a desmontar..” Por que comportam-se tão irracionalmente??
Comia um morango escorrido, lambuzava-o no creme e consumia horas de completo êxtase. Deliciosos....Como conseguem ser tão maravilhosos, bonitos e sedutores? E os moranguinhos dançavam nas jarra, rolavam de rir diante do olhar iluminado e feliz com que Helena catava aquele que pretendia devorar.
Antropofágica mulher comendo beleza traduzida em suave voracidade...
Se soubesse falar muitas línguas, devoraria o mundo apenas com um olhar.

.

__Maio – 2007__
Ivy Gomide

.
Solidão

Fóruns: 
Foto de Gaivota

** Gaivota **

Ivy, comu parte de seu conto com a voracidade que me é peculiar...
Que maravilhosa parte!

"....Suaves e delicados, poderiam ser comparados a uma sublime jarra de cristal com vermelhos morangos criteriosamente arrumados. De um lado a ponta vermelha repousando e do outro as folhinhas verdes bordando a barra da saia. Deliciosamente convidativos a voracidade....."

esses morangos estão na minha cabeça e juro... devoro-os com vc, posso?

** Gaivota **

Foto de Fernanda Queiroz

Achei muito interessante o teu conto.
Narrativa descritica e entrelaçadas onde caracteristicas viram sabores ricamentes ilustrados, chegando a fazer a saliva produzida pelo paladar.
Parabéns
Fernanda Queiroz

Grande abraço.
Fernanda Queiroz

Foto de shaftiel

seu conto é bastante poético. é uma leitura interessante que faz viajar nas imagens.