Não há porque temer

Foto de Mónica Silva

Se o céu ficar negro de repente
e as estrelas deixarem de brilhar...
se deixares de avistar a linha do horizonte
algures entre o céu e o mar...
Se os teus sonhos e ideais
forem pura ilusão...
se tiveres medo de ir longe demais
e perder o sentido da razão...
Não há porque temer
não há porque hesitar;
se um sonho se perder
corre para o agarrar,
não há porque temer, se assim tiver de ser
outro sonho irás sonhar.
Se te deixares levar sem querer
e quiseres voltar atrás...
se de repente o teu dia anoitecer
e acabar a tua paz...
Se receares caminhar sozinho
e não encontrar o fim à estrada...
se perderes o rasto ao caminho
e, depois de ter tudo, ficares sem nada...
Não há porque temer
se tudo são suposições;
não há porque temer
terás sempre novas ambições,
não há porque temer
porque até ganhares uma batalha
ainda vais muitas perder.

Foto de InSaNnA

Oie..amiga poeta!!Como vai????A vida,um caminho misterioso,com lugares lindos,outros sombrios,nos torna,seres corajosos,não é?Desde que nascemos,já corremos perigos..do primeiro sopro de vida,ao último..Mas,você na sua bela poesia..cheia de boas verdades..incentiva a seguir em frente...mudar de caminho,ter escolhas...Devemos sim...seguir os sonhos..e se ficarmos no meio do caminho..outro sonho há de chegar!Amiga poeta!! Beijos nessa bela alma (todos os poetas têem uma bela alma).InSaNnA indo..
♥InSaNnA♥

Foto de Mónica Silva

Oi...muito obrigada pelo comentário...ainda bem que gostaste!também gosto da tua poesia, escreves muito bem...
beijão!
Mónica