vestígios de mim - para sempre

Foto de xica

um dia muito depois de mim
em que o mundo continuará
a respirar
desenrolar-se-ão papéis escritos
e malditos
do que em gelo de minhas
mãos
se criou.
um dia muito depois
da noite
suspira a verdade
e a mentira
dos sons que a minha
alma gemeu
sem prometer.
peço socorro ao futuro
que me engrandeça
que de todo o resto
de minha carne
que apodreça
me grite ao mundo
profundo
e esquecido
que do meu gemido
não se esqueça.
um dia muito depois
de cada palavra
que moldei
o futuro de inverno
trará de volta
o fogo
o intenso lume-verso
que me fiz
e que te dei.
que me leve a morte
certa
para um poema sepulcro
que nunca acabe
para um grito no céu
escuro e suave
e me escreva
pra sempre
em cada chuvada.
que haja alma de mim
um dia e outro dia
e até mais do que dois –
que se alargue
se expanda
e a mim eternize
num verso supremo
muito mais que depois.

Foto de sebastiao alves da silva

teu texto estah otimo, gostei muito, parabéns...

Foto de edemilsonreis

Filosofia pura!

Foto de Izaura N. Soares

Adorei o seu "Vestígio de mim".
Muito lindo... Parabéns!

Foto de Mitchell Pinheiro

Uma bela alma deixa eternos vestígios e nem a morte és capaz de apagar o amor escrito em muitos corações. Parabéns, um grande abraço!

Tudo que é humanamente possível eu posso conseguir!

Tudo que é humanamente possível eu posso conseguir!

Foto de CARINA MASSENA SOARES

Muito belo o seu poema.
É um prazer conhecê-la e prestigiar tão bela obra de arte. Congratulações pra você...continue sempre assim

Foto de xica

Agradeço a todos os comentários tão simpáticos. Poetas como todos somos, humanos acima de tudo, é inevitável deixarmos em todos os recantos os vestígios de nós. Continuem assim apaixonados.
Vêmo-nos por aí.
Xica.

Francisca Augusto