As 1027 coisas que odeio em ti ou não …

Foto de Serafina e Tatiana

Odeio quando me ignoras...

Odeio quando me dizes “Estava só a brincar” e no fundo ambos sabemos que não...

Odeio quando me perguntas “ E isso que vais vestir?” e eu te pergunto porque e a resposta é sempre “por nada”....

Odeio quando sais e não me contas como foi... Ate parece que tens algo a esconder....

Odeio quando me perguntas mil vezes a mesma e coisa depois de eu já te ter respondido á primeira...

Odeio quando fazes uma amiga nova e passas o resto da noite a dizer o quanto e porreira!

Odeio que nunca estejas de acordo comigo...

Odeio as tuas 1027 amigas do Hi5 que dizes sempre que nunca viste na vida
(Basicamente odeio não saber tudo sobre ti e as tuas 1027 amigas do Hi5)

Odeio quando estas on-line no MSN e optas por não dizer nada! (LOL esta é clássica...)

Odeio estar contigo, não porque não gosto, mas porque os joelhos tremem...Sim e uma incoerência e depois? Coisas de gaja! LOL

Odeio que me tires o fôlego só com o olhar...

Odeio quando falas baixinho... porque me obrigas a aproximar...

Odeio beijar te porque sabe me sempre a pouco!!!!

Odeio o teu perfume porque cola em mim....

Odeio estar contigo porque no dia a seguir e não sei bem porquê ando com um sorriso estúpido na cara que não desaparece nem que o mundo desabe!!!!!!!

Odeio ver te porque depois tenho saudades...

Odeio ter vontade de falar contigo e nunca saber o que dizer...!

Odeio ver-te, sentir o teu olhar e não conseguir fazer nada...

Odeio ter o teu número e saber que não posso ligar...

Odeio o teu ar de bad boy que eu tanto adoro... confusa????

Odeio não saber se pensas em mim, se te lembras de mim como eu de ti....

Odeio estar do outro lado da mesa e ter de manter a “pose”...

Odeio o meu medo.... A incerteza... e se...

Odeio-te porque tens tudo o que eu adoro!!!!!

Odeio estar a teu lado e não te poder tocar ....

-by Serafina Cristina e Tatiana Micaela

“a pior forma de se estranhar alguém é estar sentado a seu lado e saber que nunca o poderás ter”

-by Gabriel Garcia Marquez