Lembranças

Foto de BRUCE ALEX

Imortalidade

A mortal existência se esgota
Mas se transborda na eterna imortalidade das lembranças

Foto de Rosamares da Maia

CRÔNICAS DA SAUDADE – Memoriando

CRÔNICAS DA SAUDADE – Memoriando
O olhar dela vaga perdido no horizonte tentando encontrar na memoria desencorajada os arquivos das lembranças do passado e nelas um rosto amigo. De repente, da nevoa branca, no fundo da sua cabeça, sai correndo um menino assustado, de joelho ralado e sangrando. O menino berra enquanto as lágrimas escorrem da carinha suja.
Chora pedindo abrigo, buscando socorro, mas também com medo do remédio. Grita:
- Não mãe! Mertiolate não!
Ela, meio do bem e meio do mal, presta socorro, mas, também se vinga das artes do menino, exercendo sua cura, meio feitiçaria - amor e castigo.
Novamente a memoria falha. Mais que droga! O olhar passeia por tempos intangíveis. Novamente ele, de capa e espada. Agora é Nacional Kid! Com bronquite e pneumonia. Meu Deus! Quanto trabalho deu este menino.
Confuso e atrapalhado, baixo rendimento escolar, aos saltos e empurrões, salvo de apanhar nas brigas compradas pela irmã, lá foi ele. Finalmente chegou lá, venceu a corrida do jeito que deu, um dia de cada vez. Trabalho, casamento. Quem diria! O menino do "patinete vermelho" virou gente grande, Homem. Gente muito complicada é claro.
A memoria apaga de novo, ou não. Quem sabe agora ela prefira pular certos pedaços da vida? Culpas à parte tinha tentado fazer o seu melhor, era o que podia e sabia fazer, o que tinha a oferecer. Ninguém consegue doar o que não tem.
Afinal de contas, um filho é produto de dois, portanto somente cinquenta por cento das culpas lhe cabiam e pecou sempre pelo excesso, das chineladas, correadas e das palavras. É somente pelo excesso, nunca pela omissão. Esta fazia parte dos outros cinquenta por cento.
Mas por onde andará nestas horas o menino? Não precisará de curativo nos joelhos?
De dentro da bruma densa da memória podia ouvir o silencio. Era tão profundo que doía. Vem sem passos, sem gritos, risos ou lágrimas. Nada!
Traída pelo confuso entendimento, esquecendo os complementos que encadeiam os elos da sua história, tristemente se questiona:
- Será que um dia houve mesmo este menino? Ou será que só imaginou?
Menino, menino, sou eu quem te digo - um dia ela vai se esquecer de você totalmente.
‘ Rosamares da Maia

Foto de Minha_Historia

Meu coração é seu

Mesmo te vendo distante
Sei que pra mim é impossível
Não se lembrar dos nossos momentos mágicos
Do nosso primeiro beijo
Repleto de desejo
Do nosso primeiro abraço
Me atrevo a dizer que no calor dos seus braços me encontrei
Simplesmente inesquecível
Cada troca de olhar
As juras de amor eterno
A entrega total e a cumplicidade
Ah saudade leve meus pensamentos até ela
Transforme as lembranças em chamas
Que nunca se apagarão
Ao fechar os olhos
Imagino seu corpo, seus cabelos molhados
Que muitas vezes embalaram meu sono
Quando dormimos lado a lado
De conchinha e com nosso cobertor
Passamos noites maravilhosas
Repletas de amor
E ao acordar o mais belo dos cafés da manha
Vai saudade diga ah ela que eu a amo de verdade
É verdade que cometemos muitas loucuras
Mais o amor é assim
Chega sem avisar e nos envolve sem perceber
Você está guardada em meu coração
Meu coração é seu
E com a convicção dos amantes
Sei que um dia estaremos juntos
Novamente como outrora
Com os corpos entrelaçados
Abraços apertados
E beijos molhados
Ao romper da aurora
Te amo muito
Ontem, hoje e sempre

Foto de carlos alberto soares

Dia dos pais

Pai,
Você não está mais aqui pra receber o meu abraço
Mas não me embaraço
Pra sentir sua presença

Por quantas vezes descordei do que dizia, mas sei que também já foi tolo um dia,
E assim como eu com seu pai discutia

Pai eu não discuto com Deus, que te levou pelas razões que não posso entender, mas quero te agradecer pelo tempo ao seu lado, pelas mãos e olhar calejados,
Por tudo que me foi ensinado

Obrigado por ter me levantado quando cai, pelo sorriso quando venci.

Pelo abraço apertado, quando frustrado, me senti incapaz
Por quando tudo se convertia em guerra, chegou trazendo paz

Pai você é mais
São tantas lembranças legais
Que chego a confundir
Mas como é bom lembrar de ti

O jeito duro de ser
Demorei muito pra entender
Provindo do fardo que eu fui pra você
Mas hoje quero agradecer

De joelhos assim, peço a Deus
Que mais uma vez permita que me abençoe aí de cima, por que esta é sua sina,

Ainda que eu não mereça, ainda que eu faça tudo errado, vai sempre estar ao meu lado.

Assim nesta hora confesso, sem fazer comparação, que ao lembrar de você, encontro Deus em sua imensidão.

E pra agradecer todo tesouro recebido, honra, caráter, retidão...
Louvo à Deus em minha crença,
E sinto de verdade sua presença.

Pai,
Foi, é e será o maior, embora isso não importe a você, parabéns por agora entendi, ser você o maior homem que conheci.

Foto de Rosamares da Maia

CARTA A FERNANDO PESSOA

Rio de Janeiro, 26 de maio de 2015.

Meu Caríssimo Fernando,

Nesta manhã como em tantas outras estou solitária e feliz por desfrutar da minha própria companhia. Sim, pois pretensiosamente ou não, estar acompanhada de mim mesma é o que hoje me faz feliz. Principalmente porque estar comigo, mesmo que transitoriamente, me conduz a você.
Nesta manhã, enquanto vejo a fumaça do café galopar o ar, aguço todos os meus sentidos e lembro-me de você, como se estivéssemos compartilhando a mesma mesa, as fatias do mesmo pão. Na realidade já não como, mas, continuo alimentando-me das tuas lembranças.
Fernando,
O que seria da minha vida sem conhecer-te, sem sorver das páginas cada gota dos teus escritos? Que seria de mim se não sentisse as tuas angustias, o teu amor para além dos lusitanos mares? Se não tivesse como tu compreendido os vaticínios de D. Sebastião.
Também tenho muitas personas aprisionadas dentro de mim e, ao contrário de ti, não consigo exteriorizá-los, derramá-los no tapete do quarto e depois abrir a janela, para que voem. Fecho os meus olhos e sou como Maria José – a feia, corcunda e doente. Coitada! Sempre presa à cama, diante da janela, colhendo no orvalho da manhã as pequenas gotas dos sonhos, de seu amor platônico por Antônio.
Escrevo a você cartas, como ela – As cartas que Ele jamais leu. Maria José motivo de riso ou invisível, desabrochando na exteriorização da tua solidão e tão acompanhada de tantos outros Fernandos igualmente solitários.
O que seria de mim sem refletir como Bernardo Soares:
-" Aprender a desligar as ideias de voluptuosidade e de prazer. Aprender a gozar em tudo, não o que ele é, mas as ideias e os sonhos que provoca.
Por que nada é o que é e os sonhos sempre são os sonhos.
Para isso precisa não tocar em nada. Se tocares o teu sonho morrerá, o objeto tocado ocupara tua sensação."
"Ver e ouvir são as únicas cousas nobres que a vida contém. Os outros sentidos são plebeus e carnais."
"A única aristocracia é nunca tocar. Não se aproximar – eis o que é fidalgo"
Bernardo Soares /Fernando Pessoa – 1888-1935 – in Livro do Desassossego.

Eu como Bernardo, sou fragmento do meu primeiro eu, que diariamente vem à tona para cumprir muitos papeis que a vida impõe e cobra, mas, aqui nesta pouca solidão com a qual a manhã me privilegia, consigo fechar os meus olhos e desfrutar da tua companhia, me aproprio de ti e te ouço soprar em meu ouvido esquerdo. Meu coração se contrai e expande dentro do meu peito e uma profunda saudade se apodera dele, me levando ao mergulho em um tempo que não vivi – o tempo de te encontrar.
Vamos a Livraria Lelo & Irmão, sentamo-nos a tua mesa preferida para tomar café, comer bolinhos e pensar no Mar Português – “Ó mar salgado, quanto do teu sal / são lágrimas de Portugal!” / Valeu a pena? Tudo vale a pena / Se a alma não é pequena.”
Meu pensamento associa-se a fumaça da xícara fumegante, tomadas em dimensões de tempo e espaço tão distintas e, Maria José fecha os olhos para vida com a certeza do seu amor, porque ele foi tudo que fez valer a sua insólita passagem por este mundo; Bernardo olha e se vê em ti, a mesma imagem, mas o seu reflexo no espelho tem um olhar arguto, mais crítico e menos emocional. E é assim, cada um é o que é mesmo sendo somente a derivação de uma só “Pessoa”.
E eu te escrevo esta carta, esperando que nossa conexão de espírito não seja apenas um delírio matinal de quem ainda não acordou direito e, como tu mesmo disseste, - “ Acordaste-me, mas o sentido de ser humano é dormir.”. Mas o que escrevo-te neste momento, é para agradecer-te.
Obrigado Fernando. O que seria de mim se você não tivesse existido?
Obrigado Pessoa pelo café compartilhado aqui, na minha mesa da cozinha.

Rosamares da Maia.

Foto de marco aurelio castro neto

DEMOREI VOLTEI PARA VOCÊ

DEMOREI SETE ANOS E FINALMENTE VOLTEI,
ESQUECIDO ESTAVA, LEMBRANÇAS,
LEMBRAVA...
DE UM TEMPO, EM QUE MEU CORAÇÃO VIBRAVA,POR CONHECER VOCÊ.
SOU O ULTIMO QUE RESTOU CRIEI VOCÊ ENTREGUEI,
DE BANDEJA E QUANDO VI, NÃO DERAM CONTINUIDADE AO TRABALHO
DE UM LOUCO APAIXONADO.
DESLUMBRO DENTRO DE MIM UM CORAÇÃO VIVIDO ESQUECIDO PELO AMOR.
CULPA DE UM POETA SOLITÁRIO, QUE ATI CRIEI.
ESTA CRESCIDA DESLUMBRANTE UM BLOG, HOJE FALANTE,
AOS QUATRO CANTOS DO MUNDO POSSO SENTIR O CORAÇÃO DE CADA POETA
QUE AQUI PASSOU E DEIXOU, UMA PARTE DE SUAS LEMBRANÇAS, DE CRIANÇAS.
HOJE HÁ ESPERANÇA DE CONTINUAR ESCREVENDO E CANTANDO O AMOR...
Marco Aurélio Castro Neto

Foto de Fernando Azamor

Onde anda?

Onde anda aquele menino
Que empinava pipa na rua,
E sempre soltava balão.

Onde anda aquele moleque,
Que roubava manga do vizinho,
E sempre tinha razão.

Onde anda aquela criança,
Que com carrinho de bilha,
Corria, sem freio de mão.

Agora, longe de ser criança
Só me resta muitas lembranças
Bem dentro do coração.

Hoje, todo pirralho sabido
Tem sempre junto consigo
Smartphone na mão

Não sei se foi o destino
Que brincou com esses meninos
Tanto Jogo, nenhuma emoção!

Foto de Fernando Azamor

Fórmula do amor.

Tocou aquela canção no rádio:
"Fórmula do Amor" do Leo Jaime.
Me lembrou dos bons tempos -"Good Time"
Eu era feliz e nem estava aí!
Som alto na vitrola,
Dançar juntinho,
Saudades daquela menina!
O Rio era um paraíso, uma festa!
Nos oferecia tanta coisa legal,
Descontração era a marca desse lugar!
Não que eu esteja infeliz,
Mas a alegria está indo pro ralo,
Tantas preocupações, stress puro!
Nos tirando o prazer de sair, passear.
Até pouco tempo, íamos pra Barra da Tijuca,
Bebíamos um choop, dois, quem sabe, seis.
Ficávamos bronzeados e "tirávamos maior onda".
Passeio no alto da Tijuca,
Namoro no Drive-in, sem surpresas. Só de ser pai!
E a volta: só no dia seguinte!
Apenas lembranças de um "coroa"? (enxuto por sinal)
Não viveremos mais esses momentos?
Saudosismo?
Acabaram com nossa liberdade!
Mas quero tudo de volta, urgente!
" A vida é trem bala parceiro, prestes a partir"
Transformações, limpeza, arrumação.
Talvez tudo o que estejamos passando, seja necessário, sei lá!
Tem muita poeira para baixar!
Difícil é esperar, trancado em casa,
Escrevendo linhas tortas,
Que desabafam.
Sei que esse é o pensamento da maioria.
Tá difícil de aturar!
Alegria, alegria!
E que seja breve!
"Ainda encontro a fórmula do Amor"!

Foto de Minha_Historia

Paginas em branco...

A nossa historia não acabou
Você pode ter virado a pagina
Mais continuo nela, te amando e desejando
Jamais irei esquecer...
Do beijo que me deste para quebrar o gelo
Do abraço quente e aconchegante
Nada mais será como antes
Você está comigo em cada pensamento
Do meu coração transborda
O mais belo sentimento
Amor correspondido.
Ah que saudades...
Das nossas noites de carinho
De pela manhã tomar café daquele nosso jeitinho especial.
Lembranças que vagam em minha mente
Que tragam nem que seja em meus sonhos
Os maravilhosos momentos de cumplicidade
e de puro sentimento
Seu belo sorriso
É tudo que preciso para ter um dia perfeito
Esse efeito é visível em meus olhos
Nossa historia possuem paginas em branco
Que precisamos completar
Então me deixe sonhar
Sonhar acordado o mais belo dos sonhos
Sonho em um dia ter você em meus braços.
E te olhando nos olhos possa dizer o quanto te amo,
o quanto te quero.

Foto de Poetando

No silêncio do meu quarto

No quarto deitado em silêncio
Com mais vontade de gritar
Vou sorrindo sozinho
Para não me pôr a chorar
Aqui me vou lembrando
Do que queria era apagar
Sem ter vontade de viver
Queria do mundo abalar
Deitado na cama acordado
Em tudo volto a pensar
Acabo por adormecer
Sem ter vontade de lutar
Quando no silêncio da noite
Entrego-me aos pensamentos
Com mais vontade de gritar
Vêm as lembranças tristes
Só me dão vontade de chorar

De: António Candeias

Páginas

Subscrever Lembranças

anadolu yakası escort

bursa escort görükle escort bayan

bursa escort görükle escort

güvenilir bahis siteleri canlı bahis siteleri kaçak iddaa siteleri kaçak iddaa kaçak bahis siteleri perabet

görükle escort bursa eskort bayanlar bursa eskort bursa vip escort bursa elit escort escort vip escort alanya escort bayan antalya escort bayan bodrum escort

alanya transfer
alanya transfer
bursa kanalizasyon açma