Frases e Citações

Us Cavaliers si Jazia (Um Cavaleiro deitado estava) (Bertran d'Alamanon)

Foto de Carlos
Autor: 

Us Cacavaliers si jazia

ab la re que plus volia.

Soven baizan li dizia

"Doussa res, ieu que farai?

Que'l jorn ve e la nueyetz vai.

Ai!

Qu'ieu aug que li gaita cria:

Via sus! Qu'ieu vey lo jorn venir

Apres l'alba.


Doussa res, s'esser podia

que já mais alba ni dia

no fos, gran merces seria,

al menis al luec on estai

Fis amicx ab so que'l plai.

Ai!

Qu'ieu aug que li gaita cria:

Via sus! Qu'ieu vey lo jorn venir

apres l'alba.

Dousse res, que qu'om vos dia,

no cre que tal dolors sai

cum qui part amic d'amia,

qu'ieu per mezeys o sai.

Ay las! Quan pauca nueyt fai.

Ai!

Qu'ieu aug que li gaita cria:

Via sus! Qu'ieu vey lo jorn venir

apres l'alba.

Doussa res, ieu tenc ma via:

Vostres suy, on que ieu sai.

Per Dieu, no m'oblidetz mia,

que'l cor del cors reman sai,

Ni de vos mais no'm partrai.

Ai!

Qu'ieu aug que li gaita cria:

Via sus! Qu'ieu vey lo jorn venir

apres l'alba.

Doussa res, s'ieu no us vezia,

breumens crezatz que morria,

que'l grans dezirs m'auciria;

Per qu'ieu tost tretornarai,

que ses vos vida non ai.

Ai!

Qu'ieu aug que li gaita cria:

Via sus! Qu'ieu vey lo jorn venir

apres l'alba.





(Versão Portuguesa)


Um Cavaleiro deitado estava

com a dama que mais amava

Muito a beijando dizia

"Doce amiga eu que farei?

Que o dia vem e noite vai.

Ai!

Que eu oiço a atalaia que grita:

Abalai! que vejo o dia vir

após a alva.

Doce amiga, se eu podia

nem noite e dia haveria,

e grande favor seria,

pelo menos onde estamos

amiga fiel que me aprazes.

Ai!

Que eu oiço a atalaia que grita:

Abalai! que vejo o dia vir

após a alva.

Doce amiga, como vos dizia

não creio que exista maior dor

como a de separar o amor

que eu por mim o sei

Apre! que curta a noite foi

Ai!

Que eu oiço a atalaia que grita:

Abalai! que vejo o dia vir

após a alva.

Doce amiga, tenho a minha vida:

Vosso eu sou, vá eu para onde for

por Deus, não me esqueças amor

Que o meu coração convosco está

e daí não partirá

Ai!

Que eu oiço a atalaia que grita:

Abalai! que vejo o dia vir

após a alva.

Doce amor se não vos via

crê-me, brevemente morreria,

pois grande querer me mataria;

Assim breve tornarei,

que sem vós vida não tenho.

Ai!

Que eu oiço a atalaia que grita:

Abalai! que vejo o dia vir

após a alva.

Bertran d'Alamanon (1230-1266)