Primavera

Foto de Arnault L. D.

Quando as flores tingirem a estação,
as plantas se vestirem de encantos
qual fossem fantasias para festa,
um desfile, carnaval , revolução,
de formas e perfumes, nos recantos
ornados do que a natureza gesta.

Em breve, um botão irá se abrir
e logo após, virão outros florescer,
tal estrelas para o crepúsculo,
vão surgindo, lentamente a luzir.
Por fim, inundam o céu no anoitecer;
do sol maior, ao astro minúsculo.

Em diversos formatos e matizes
que brindam os olhares mais atentos,
mesmo sem ver, embelezam a brisa...
por perfumes que nos tornam felizes,
quando na noite passeiam nos ventos
brotando a primavera sua guisa.

E que venham as rosas! Que floresçam!
Que possam alcançar solos sem vida,
e que tragam colibris aos jardins,
pois assim, até no céu as flores são...
Pétala, ou penas, na alma incida;
flore as pessoas, a todos e confins.

Comentários

1
Foto de Izaura N. Soares

Que belo poema! Um poema de primavera florindo o meu dia. Gostei, parabéns poeta Arnault! Um abraço pra ti.