Pai e Mãe

Foto de Moisés Oliveira

Falar de amor não é tão fácil, é difícil de entender,
um bicho que não tem dente, mas morde e faz doer.

Veneno forte que age rápido, logo chega ao coração.
Uma vez nele instalado, não sai por jura nem maldição.

Amamos tudo a toda hora, não há mais procedimento.
Amor que hoje lancina o peito, amanhã é esquecimento.

Eu sou um pouco diferente, amo a quem me da saudade.
Bicho de picada forte, o seu sintoma é a vontade.

Vontade de ter ao seu lado, quem sempre te fez sentir bem.
Arbítrio de sentir na pele, o calor que a pessoa tem.

Esse tinhoso de sintoma raro, não é fácil de combater.
Tela de vidro ou áudio gravado, não fazem desaparecer.

O primeiro bicho de mordida forte, sabe bem se camuflar.
O amor não é "sui generis", de todo jeito se pode amar.

O segundo a gente combate, cada um à sua maneira.
Minha volição expresso em palavras, quase por brincadeira.

Pai e mãe que tanto amo, não imaginam o valor que têm.
Esses são versos de saudade, pois dela eu entendo bem.