Foto de Oliveira Santos

Carta

Meu amor

Sei que talvez não dê mais tempo de lhe dizer qualquer coisa para tentar uma reconciliação...

Errei muito, eu sei, e nem é necessário dizer o quanto você tem razão em tomar essa atitude. Mentiras, omissões, palavras mal ditas ou não ditas entre outras coisas permearam o nosso relacionamento e o conduziram até este ponto.

Durante todos esses dias de um quase desprezo seu tenho sofrido tanto...

Não lhe beijar antes de trabalhar nem depois de você chegar, não apertar seus pés vendo nossos programas preferidos ou uma série interessante e até um filme "mamão com açúcar", não dormir no chão da sala como um cão de guarda do seu lado porque você pega no sono no sofá e eu não quero interromper seu descanso, não ficar azul de fome esperando você para jantar, não lhe ouvir dizer que meu estrogonofe está "top, amor!" ou aquela picanha de forno... essas são só algumas das pequenas coisas que me martirizam por não ter mais.

...E tudo minha culpa!

Aproveitei esse tempo para refletir, recapitular nossa vida juntos na tentativa de encontrar o momento em que me perdi pelo caminho...

Isso mesmo, me perdi. Em qual bifurcação eu peguei o lado errado? Em qual rótula eu peguei a saída errada? Difícil responder... O que eu sei é que fiquei dando voltas e voltas sem chegar a lugar algum, ou melhor, sem sequer sair do lugar.

Preciso achar aquele homem por quem você se apaixonou... Resgatá-lo! Aquele que se encantava com seu sorriso; que você flagrava absorto te olhando e dizia que só estava babando; que sempre fez questão de dizer o quanto você é linda; aquele te agarrava cheio de vontade de você! Ele não morreu, está vagando, mas já estou indo buscá-lo mesmo que eu precise fazer uma terapia de regressão!

Brincadeiras à parte, eu sei que caí em descrédito. Não reguei a plantinha e ela secou... Mas não posso ficar de braços cruzados vendo a banda passar e se existe alguma esperança, por mínima que seja, preciso me mexer, aliás, já estou me mexendo! E isso não é só por você ou pelas crianças, é por mim também.

Fico olhando nossas fotos juntos, com nossos filhos lindos... Que família maravilhosa eu estou perdendo! Que mulher espetacular eu afastei de mim! Olho para cada canto da casa e chego a nos ver ali em algum momento passado de alegria ou simplesmente do cotidiano, como você sentada no sofá comigo e as crianças ou no computador trabalhando. Fecho os olhos e até consigo sentir seu cheiro!

Mas em lugar disso tudo eu dei vez ao orgulho, à teimosia, à intransigência, à falta de sensibilidade... falhei como homem e marido com você sem que merecesse e agora pago o preço por isso: o nada, o isolamento, a solidão.

Me magoar? Sim, você já me magoou com suas palavras duras. Mas pensando bem era uma reação ao meu descaso em relação a nós dois. Meus erros foram maiores que seus sermões.

Por fim quero dizer que TE AMO COM TODAS AS FORÇAS e vai ser assim por um longo tempo, queria poder fazer tudo diferente, recomeçar, não tentar de novo! Re-co-me-çar... Mas acho que não tenho mais vez na sua vida... então só posso agradecer por tudo que fez por mim, pedir desculpas por tudo que fiz e desejar que seja feliz como sempre sonhou ser, se cuide, seja sensata e cautelosa nas suas decisões. Vá e vença!

...De um homem que não soube te amar.

11/09/2018

Foto de Oliveira Santos

O Lenço Azul

Você viajou...

Disse que precisava de tempo para si

Descansar, respirar, refletir, reavaliar, se reinventar

Precisava da solidão, da quietude fora do furacão

Queria ver o Sol, sentir a brisa do Mar...

Poder dormir até tarde, beber até não aguentar

E se foi...

Recomendações para os Filhos

Um breve remorso em deixá-los, mas precisava...

Uma despedida fria, um beijo por educação

Alça ao ombro sua bolsa, apanha as chaves do carro

Abre a porta e olha para trás...

Me sinto como se nunca mais fosse voltar

Sacrificadamente lhe desejo boa viagem, que se divirta

Se cuide no caminho e não se aflija com nada...

E sobre a mesa deixou um lenço azul

Que cheirei devotamente e com cuidado

Para não profaná-lo com as lágrimas...

15/09/2018

Foto de Siby

Violetas e poesia

Com violetas os versos vou enfeitar,
Então eu vou plantar para ver crescer,
E eu vou pensar antes de escrever,
Para depois, flores e versos misturar.

Quando da terra a plantinha brotar,
Como pensamento pronto para verter,
Tempo exato para crescer e florescer,
Com a beleza das flores vou me inspirar.

Entre tantas flores, a violeta fui escolher,
Pois sua simplicidade tem o dom de cativar,
Então escrevo para a sua beleza descrever.

Flores, pétalas de palavras vão se juntar,
Como magia em poesia irão se converter,
Violetas e poesia, temas do meu versejar.
Siby

Foto de Siby

Nossa história

Faz tempo que nos conhecemos,
Sei que faço parte de sua história,
Onde tem alegria, perda e vitória,
É um livro que juntos escrevemos.

O final do livro nós desconhecemos,
Em contos de fada, sempre se viveria,
Felizes para sempre, que bom seria,
Doce ilusão de um livro que já lemos.

Com lindas flores o livro enfeitamos,
Que contém páginas com nossa história,
E os principais personagens nós somos.

Para recordar, o nosso livro abriremos,
E iremos ler nossas páginas da memória,
Com aventuras mil, que juntos vivemos.
(Siby)

Foto de Zami

Nunca desista

Dentro de um poço
Não havia luz
Sem saída
Sons da natureza soavam
Físico esgotado

Não desisti
Resisti os maiores apelos da loucura
Luta penosa
Pensava nos meus filhos
Um fio de luz

Um pássaro entrou
Me fez companhia
Me ouviu
Cantou
Dancei

A estação mudou
A luz entrou
A chuva veio
A vegetação cresceu
Surgiu o riso, a saída

Zamy Pesci

Foto de Siby

Insaciáveis mãos de poeta

Insaciáveis mãos de poeta

As palavras brincam de esconder,
A emoção tranca-se no coração,
E a inspiração não sai da razão,
Para as mãos que querem escrever.

Silêncio...se sente o coração bater,
É ele... o bom amigo da meditação,
Existe um lugar, um refúgio, a solidão,
Onde a alma de paz vem se abastecer.

Com serenidade, a inspiração vai aparecer,
Momentos mansos, entregues para a reflexão,
Fluindo bons pensamentos, sem os prender.

E as insaciáveis mãos não sabem se conter,
Tiram do peito do poeta a sua emoção,
Para seus sentimentos, sem pudor, descrever.
(Siby)

Foto de Esfera Celeste

Dias de inverno

Há uma mudança em meu olhar
No ar...
Sem respiração
No peito
Vulcão em erupção.

Foto de solidão

Trem Fantasma

empre ouvir dizer que: " a dor é inevitável, mas o sofrimento opcional".
Acredito quem disse isso não sabia realmente o que estava dizendo.
Sabe quando estamos em parque de diversões? Tantas emoções vivenciamos nesse lugar.
Sim, vamos na roda gigante e quando estamos lá em cima tem aquele friozinho na barriga,
porém quando paramos no topo da roda nos sentimos donos da cidade. O nosso olhar alcança tudo.
Tem o trem fantasmas, que por mais que a gente saiba que aqueles monstros não são reais,
temos medo e mesmo assim
fazemos questão de ir para provar nossa coragem.
Hoje estou em um trem fantasma, mas não provando minha bravura.
Hoje não consigo abrir os olhos enquanto o trem desliza pelos trilhos.
O medo me apavora.
O medo me consome.
O medo me destrói.
E o carrinho vai seguindo como se não existe uma saída.
E pior do que não ver a saída é perceber que onde estou apavorada
também é o lugar onde me sinto segura.
Sim, o monstro que me causa medo
O monstro que me causa dor
O monstro que me causa desespero, sim, é único que me conforta.
Então me pergunto: Será que nesse cenário também sou um monstro?
É como a síndrome de estocolmo. Sei do perigo, mas me apaixonei pelo sequestrador
dos meus sonhos e só com ele me sinto segura.
Por favor, eu só quero parar o carrinho. Só quero fazer parte do fantasma.
A porta de saída me parece mais assustadora do que continuar aqui.
Por favor, a dor daqui de dentro me conforta mais.

Foto de Siby

Eu e um soneto

Estava com vontade de escrever,
Mas as palavras não combinavam,
E de se esconder elas brincavam,
E eu não conseguia entender.

Bem lá no fundo havia inspiração,
Era um soneto que eu queria fazer,
Pensei...pensei... até adormecer,
Com o soneto na cabeça dormi então.

Com sonhos bons, até o amanhecer,
Os problemas nasceram com solução,
E fez dois pequenos poemas aparecer.

Aconteceu, podem acreditar, ou não,
Mas a magia da poesia pode acontecer,
Eu e um soneto, dois poemas foram a criação.

(Siby)

Foto de Arnault L. D.

Livre tradução

Escreva algo, sem sentido qualquer.
Talvez, para alguém ver um sentido,
as palavras transbordam mister,
parece que não as tinha escrevido...

Apenas deixe fluir, sem conter,
sem começar ser ponderado.
Provavelmente ninguém vai entender...
esse idioma transloucado.

Sou aprendiz de aprender a mim,
meu porta-voz do que me escapa,
as vezes, troco talvez, por não e sim...
sei da direção, não tenho mapa.

Quem não falou menos que devia,
ou num turbilhão de verbos se perdeu
sem conseguir dizer o que sentia,
ou tudo errado transcreveu?

Não há caminha certo, nem seguro,
quando se trata do pensamento.
Não há palavra exata à emoção pura
apenas a saiba... apenas sentimento.

Páginas

Subscrever Poemas de Amor RSS

anadolu yakası escort

bursa escort görükle escort bayan

bursa escort görükle escort

güvenilir bahis siteleri canlı bahis siteleri kaçak iddaa siteleri kaçak iddaa kaçak bahis siteleri perabet

görükle escort bursa eskort bayanlar bursa eskort bursa vip escort bursa elit escort escort vip escort alanya escort bayan antalya escort bayan bodrum escort

alanya transfer
alanya transfer
bursa kanalizasyon açma