"ROTINA DESGASTANTE"

Foto de Edson Milton Ribeiro Paes

Já havia algum tempo que o que eu fazia não me dava mais prazer, comecei a rever meus conceitos e cheguei à conclusão que tinha muita coisa errada comigo, as pessoas que convivia quase todas acabavam me aborrecendo, o que eu ganhava não era o suficiente, nem minha casa era mais bonita para mim, meus amigos não tinham mais por mim o respeito que eu achava que deveriam ter.
Então retirando de dentro de mim, saiu à solução... O que tenho a perder?
Nada! Vou virar o mundo de cabeça para baixo, farei tudo o que for
Necessário para que me vejam como eu quero ser visto, descobri que eu era meio tudo, meio amigo, meio responsável, meio digno, meio bacana, meio simpático e também achei que ninguém conseguiria acompanhar uma mudança abrupta, foi ai que resolvi viajar por uns tempos, adquirir respeito em outras paradas e quando voltasse já teria promovido e acostumado com as mudanças que eu achava serem imprescindíveis.
Parti com uma frase na cabeça “Se você fizer o que sempre fez, obterá o que sempre obteve, se quiser algo diferente, faça algo diferente”. Munido desta frase, segui meu rumo em direção às mudanças que com certeza estava mais que precisando realizar; resolvi que não seria mais meio em nada, daquele dia em diante uma nova pessoa estava nascendo.
Quando achei o lugar propício à construção do meu novo eu, finquei estacas e falei: Daqui só saio quando estiver plenamente satisfeito comigo!
Hoje sei como foi importante aquela retirada estratégica; não perdi tempo, ganhei confiança e, sobretudo recuperei a minha auto-estima; e isso já bastaria, se mais nada tivesse agregado à minha existência. Mas tudo, tudo mesmo, que não me dava prazer, hoje tenho em minhas mãos e negocio com meus sentimentos da melhor forma possível!
O segredo é ousar e fazer diferente, e isto estou fazendo todos os dias de minha vida.
Não aceito a rotina, ela escraviza e nos deixa entediados!
Feliz do homem que aceita mudar, mudar para melhor.
Vida longa.

Comentários

1
Foto de Carmen Lúcia

Puxa,identifiquei-me com seu texto.Entregar-se à rotina,não se atrever,não ousar,ser inflexível a mudanças é o mesmo que se auto destruir.É matar os sonhos antes mesmo de perseguí-los.É entregar-se a um conformismo mórbido,é cruzar os braços e deixar a vida passar.E quando encaramos a realidade,percebemos que ela,a vida, se esvaiu pelos vãos dos dedos.
Gosto muito de seus escritos.Parabéns!

Carmen

Carmen Lúcia