Corpo

Foto de Rosamares da Maia

RESSACA

Ressaca
A curva forte e sinuosa do vento
Saudava a saudade no meu corpo.
A força queria faze-me flutuar,
Mas sem qualquer legitimidade.

Quebrou o pudor das minhas saias,
Devassando a minha intimidade.
Nada mais tinha eu para esconder.
Nada havia para perder ou temer.

Mas em fuga corri, busquei abrigo,
Entre as paredes do sétimo andar.
Pelas janelas altas e esvoaçantes,
Divisei a silhueta do vento, o perigo.

Pude ver a vela que teimava no mar,
Presenciei sua força, o tolo destemor,
Levantaram-se ondas em espuma e sal.
Cova cavada na areia da praia.

Beleza destroçada pela tempestade.
Que sepultou a doce e frágil nau,
Junto com os despojos do meu amor.
Que se deitou na areia, só para morrer.

Rosamares da Maia 21/07/2020

Foto de Rosamares da Maia

AS QUATRO ESTAÇÕES

As quatro estações

É outono e o tempo passa macio, faceiro,
A primavera hiberna no cio, até desabrochar,
Num turbilhão de cores e exóticos perfumes.
A água flui, vai ao encontro do rio matreiro,

Que manso e brejeiro alimenta as margens.
Um ritual de fertilidade dá a vida passagem,
Mesmo se a estação se despe para o outono,
Ou para o inverno, na luz que morre cedo.

Sempre a florescer, me ofereço sem medo.
Banhos no orvalho nua, na luz prata da lua.
Olhos abertos, danço, na calçada, na rua.
A brisa fria sopra a oração - mística liturgia.

Sou a flor de semente somente Maria.
Sem vergonha, impura, ao lado da estrada.
Nem do bem nem do mal, a margem, nada.
Finalmente, no ponto certo, sou primavera.

Não há novidades, só fervor, intensidade,
Constatando o prazer a estação me invade.
Mas, é fogo, o corpo aquece e de febre arde.
E o desejo forte tudo consome em emoção.

A razão é controversa e explode em paixão.
A luz dourada invade outra estação - é verão.
Nova semente plantada - ciclo que se refaz.
Maria é semente regada - vida em profusão.

Rosamares da Maia
12/06.2019

Foto de Rosamares da Maia

LAMENTO DE MARINHEIRO

Lamento de Marinheiro

Mar te acalma, serena mar azul.
És a Inspiração de tantos amores.
O sol sob o céu é balsamo das dores.
Nas águas, velas deslizam ao vento sul.
Tantos são os sentimentos, os clamores,
Confissões para conforto das almas.
Tantos que o teu espelho transborda,
Em densa espuma atiçada pelos ventos.
Secas no calor, evaporando os lamentos.

Mar, serena as vagas dos desenganos,
A lágrima salgada vem logo recolher.
Meu coração está em fúria, é maremoto,
Minh ’alma é o olho do redemoinho,
Meu corpo é como embarcação perdida,
Que o faroleiro deixou a deriva, sozinho,
Sem a luz do farol não encontro o caminho.

Mar, apascenta no coração a minha dor.
O navio só tem traçada a rota do dissabor.
Na carta náutica da solidão tudo é tempestade.
Estou sem comandante, sem estabilidade.
A deriva, sigo ao derradeiro rumo dos corais.

Mar, acalma a angustia da paixão.
Não suporto mais o cantar das Sereias.
Sou estrela atirada à praia, desalojada.
Perecendo seca no calor das areias.
Alivia o meu peito, pacifica este amor,
Sessa as lágrimas com a carícia do vento,
Dissipa ao sol o sal deste meu tormento.

Mar de Netuno te suplico, apascenta o vento.
Onde está meu porto neste mar obscuro?
Sessa a fúria da minha alma em tormento.
Acaba então com tudo, em um único momento!
Lança-me aos corais, ao fundo do oceano escuro.

Consuma a morte abissal deste marinheiro solitário,
Atraca em fim meu corpo às correntes do teu amor.
Sem a bonança, brisa mansa, sonho do porto seguro.
Põe fim ao lamento, as lágrimas deste navegador,
Sepulta o testemunho, último registro deste diário.

Rosamares da Maia 02/05/2019.

Foto de José Herménio Valério Gomes

FRAGMENTOS DE UM SORRISO

Vestida de único Amor
Num corpo de poema
Sorriso de uma flor
Que num baile-vento acena

Acreditou no jogo adolescente
Traída pelo desejo ingênuo
De ser amada continuamente
Necessitando esquecer aquele inverno

Trocando de volta os sentimentos
A que tão errado se entregou
Perdendo-se num leve momento
Para sempre da verdade que amou

Hoje,ainda restam laivos na memória
Das trocas de dedos e olhares fitos
Que se amaram noutra história
E adormece agora num livro

A felicidade não a abandonou
Mas a vida deu-lhe outro curso
Como ela nunca o imaginou
Conter num coração adulto

Hoje ela vê as noites divergentes
Sem os mesmos dias floridos
O seu final feliz está ausente
Mas algures em fragmentos no seu sorriso...

zehervago

Foto de Helder Duarte

Minha mulher

O amor conjugal

Flor do meu campo és
Tu minha irmã do jardim,
Onde nasceste naquele dia enfim!

Onde ambos fomos formados,
à imagem de pessoas três.

Por ele fomos amados,
E assim em amor criados.

Para estar no Éden jardim.
Do meu lado foste tomada,
Sim minha esposa amada.
A quem eu tanto amo,
E por ti tanto clamo.

Porque me és tão querida,
De valor tanto e tanta vida.

Tu mulher valorosa.
Mais rica és que o ouro,
Deste mundo inteiro sim.

Tu minha pomba branca,
A quem eu tanto adoro.

Estás sempre do meu lado.
Contigo minha alma canta.
A canção eterna assim...

De modo que os dois,
Vamos voando mais alto,
Que a terra de hoje.

Tu és linda como a rosa,
Da qual emana um perfume...

Naquele alto planalto. ..
E vais subindo, subindo...
Ao céu de uma forma maravilhosa.
Que a nós aos dois une.

Teu corpo e um navio,
Que em maravilhosas águas,
Nos leva às mais altas terras do amor,
Que neste mundo já se viu...

Sim tu flor da madrugada. ..
Mulher muito amada!

Foto de Minha_Historia

Aliança

Ainda guardo a nossa aliança.
Pois tenho Esperança
De um dia colocar novamente em seu dedo
Não tenho e nunca tive medo

Tenho no meu coração o mais nobre Sentimento
Ter você todos os dias, quem me dera
A todo o momento
Por uma vida, sei como vale a espera.

Cumplicidade e carinho
Sem ninguém mais em nosso caminho
Aguenta coração
A grande morada da minha eterna paixão.

Releio nossas conversas
E vejo nossas fotografias
Foram momentos mágicos.
Bem vividas de amores e alegrias.

No fundo sente minha falta
E sonha comigo como me revelou
Do dia teve coragem
E para um único encontro me convidou

Encontro inesquecível
Segurou minha mão no caminho
Dirigia eufórica
Se segurando mais louca para me dar carinho

Assim que descemos do carro
Com um longo beijo me lambuzou
Mais apaixonado fiquei
E sem muitas palavras nos entregamos

Nossa que amor gostoso
Carinhoso
Como dois amantes nos envolvemos
Nossos corpos se completavam

Ver a satisfação em seu rosto
Revigorou-me e mais uma vez
Tive o prazer
De sentir o meu corpo no seu

Foto de Minha_Historia

Ferias inesqueciveis

Grandes momentos
Dos quais só de lembrar aceleram o coração
As melhores férias de todos os tempos
Começo explosivo e nossos corpos em ebulição

Como de costume numa sexta feira sai com destino certo
Você me esperava mais uma vez, tão linda.
De coração aberto
Pronta para amar e ser amada

Não conseguindo segurar o desejo
Veio logo aquele maravilhoso beijo
Sem perceber nos entregávamos novamente
A mente já não controlava nossos corpos ardentes.

Há que loucura
Mais aquela altura não tínhamos mais medo
Mesmo em segredo
O sentimento falava mais alto

Sem perda de tempo
Chegamos e nos entregamos
De corpo e alma
Nos amamos.

E como se fosse à primeira vez
Inevitavelmente me entreguei e você me amava
Meu corpo no seu se encaixava
Enlouquecida abusou de mim, se apoderou e fez.

Insano subi para outro plano
Flutuava enquanto você
Explorava meu corpo
Me deixando louco

Com o coração acelerado
Desesperado me entreguei , caindo em seus braços
Que abraço gostoso
Que beijo delicioso.

Há menina, mulher
Que encanta e fascina
Astuta essa leonina
Consegue tudo que quer

E numa overdose de prazer
Se satisfez e como só você faz
Transformou-me em uma fera
Que urra e depois senti uma paz.

Foto de José Herménio Valério Gomes

UM TROPEÇO DE BOA SAUDADE

Hà dias ,sem dar por mim
Imaginei o tempo nas minhas māos
Que eu segurava como uma flor de Jasmin
Enquanto flutuava a minha imaginaçāo

Na procura daquele sabor de vida
Como nāo mais terei outro igual
Sou um comboio sem locomotiva
Imovél naquela estaçāo habitual

Esta nostalgia que se dissolve na minha alma
Abandonando a idade do meu corpo
Apregoando numa voz que estala
Quero tanto de volta, viver aquele moço

E foram breves e escassos momentos
Naquela travessia até ao porto da idade
Abri as māos deixei cair o tempo
E com ele a imaginaçāo na realidade.
zehervago

Foto de Rosamares da Maia

O Amor

O amor,
Ah! O que é o amor?
Ah! Que droga é o amor.
Droga no sentido de sentir - literal,
Pior ainda, droga no sentido visceral.
Dor física mesmo quando não é carne.
Dor se o prazer realizado transborda.
Porque é a agonia do momento que foge,
Que lateja em seu corpo, ecoa e explode.
Dor em contrações, resultado do prazer.
O amor tortura o espírito com dúvidas,
Ciúmes que amiúda e aniquila a dignidade.
E quando é ausência espalha, espelha maldade.
Mas, engana-se quem pensa que é apenas um.
O amor tem múltiplas formas para a tortura.
A Estação na despedida de um filho,
A sepultura, derradeiro adeus a um pai.
São idas e vindas por ele impulsionadas.
Razões, contrarrazões, batalhas, umas por nada.
Morte que defende a vida, uma alma que cai.
Lógica absurda é por amor ter que causar dor.
E o amor tem muitos irmãos e irmãs:
Dor, tristeza, despedida, ódio que é irmão gêmeo.
Todos plantados no terreno fértil do coração
Mas, espere...
O amor tem como irmãos a Humanidade,
Que gera a esperança, a bondade, os sonhos.
Temos também, a felicidade, a boa saudade,
Nasce a alegria, renasce a fraternidade,
E a paixão? Ah! A paixão!
Encantamento tolo dos enamorados, desvairados.
Ah o amor! Tem a dor gostosa de partir e esperar,
Esperar o retorno, a volta do Ser amado,
A poesia dos versos pelos cantos, suspirados.
A soma do amor e dor fazem eclodir vida,
Estão juntos sintetizando o processo da criação,
Como a ostra que processa em suas entranhas areia.
Da sua dor surgirá a pérola, joia da sua gestação.
Ah o amor! Quanta dor eu já senti.
Mas quanto prazer através dele eu vivi.
Quero a vida a doer até o último momento,
Dor pior é o vazio da ausência deste sentimento.

Rosamares da Maia

Foto de Siby

Sensações de um verão

É verão, o sol brilha, forte e reluzente,
As árvores balançam-se com o vento,
Onde pássaros gorjeiam o seu canto,
Deixando no calor, o clima contente.

Quando o calor desnuda a gente,
Atraindo aquele olhar mais atento,
E o desejo se retém, fica detento,
Para a pele dourada e o corpo quente.

Os dias de verão tem o seu encanto,
Quando a brisa é suave e envolvente,
O calor se acalma com o sopro do vento.

O sol abrasando com seu beijo quente,
O vento abraçando como um afago lento,
São as sensações de um verão ardente.
(Siby)

Páginas

Subscrever Corpo

anadolu yakası escort

bursa escort görükle escort bayan

bursa escort görükle escort

güvenilir bahis siteleri canlı bahis siteleri kaçak iddaa siteleri kaçak iddaa kaçak bahis siteleri perabet

görükle escort bursa eskort bayanlar bursa eskort bursa vip escort bursa elit escort escort vip escort alanya escort bayan antalya escort bayan bodrum escort

alanya transfer
alanya transfer
bursa kanalizasyon açma