Frases e Citações

A palavra morta

Foto de Arnault L. D.

Não vou dizer que o acaso,
que o destino, que a sorte,
impessoal, me pertencem.
Que o verbo nu grafa meu traço
sem que eu os transporte;
se de minha mão não contem,
e assim achem o “bel-aprazo”...

Não vou juntar sem escolher
o que vier, como vier,
e apoderar que o fruto eu fiz.
Vou pesar, sentir, querer
e por de mim, por mim dizer,
tolice; beleza; cada matiz,
mesmo se erro, mas, há de ser.

A existência humana corta,
sobrevem a prima engrenagem
e esta lhe é menor, e mutável,
sem carne e sangue é morta.
Sem alma que sopre é bobagem
nem bela, ou feia, nem viveu...
É letra sem vida, poesia morta.

Triste “poéta”, que desdenha
na crença que descobriu Deus,
nos chips, que em cascata evacua
terrabites, a sugar do que venha,
no medíocre furtar do caos.
A dizer do acaso, obra sua...
E dos que vêem nexo e nem tenha...