Dialogo no vazio

Foto de José Herménio Valério Gomes

Foram tantas vezes
Que nos sentamos de costas para o Oceano
Negando-nos olhar o nascer do sol
Por um não sei que amargo motivo de vida
Dentro de um vai e vem de aves pesqueiras
Somos nós sentados,bem mais alto
Num rochedo em provavel queda
Indiferentes dentro de silhuetas
Que se refletem no azulejo do mar
Isto ė o cèu por um apelo
De que não decidimos,a posição.das estrelas
Tal como o destino das nossas vidas
Cada dia que passa
Ė como uma exclusividade
Que só acontece uma vez...

Zehervago 27 abril 2014