Frases e Citações

Intenso

Foto de Anjinhainlove

Avistei-te ao longe. Aquela figura que instantaneamente reconheci deixou-me nervosa. Confesso que, por momentos, pensei em fugir e não te enfrentar, mas o desejo de fazer parte da tua esfera foi maior.
Aproximei-me de ti, com passos confiantes, admirando aquele sorriso que logo me contagiou. O abraço veio por impulso. Não foi planeado nem pensado, só aconteceu e, embora agora saiba que não contavas com ele, ainda teria feito se já o soubesse. Nos teus braços sentia-me pequena, mas segura. Sentia o calor que emanavas, sentia o teu coração bater, sentia a tua respiração... Se pudesse ficaria naquela posição para sempre. A minha definição de paz – esquecera-me de tudo o que envolvia estar contigo.
O dia decorreu. Aquela tua voz que me recordava dos velhos tempos fazia-me sorrir, rir, feliz... Ria-me de tudo, provocando-te aquela confusão. Às tuas perguntas de “Por quê?”, respondia com uma pancadinha interesseira que nada mais queria senão tocar-te. Por dentro, o meu coração gritava “Faz-me viver! Faz-me viver!”, a minha mente gritava “Abraça-me! Abraça-me!”
Ao relembrar tudo, recordo com carinho o momento em que aquela música tocou. Se existem milagres, aquele foi um... Pude, por uma vez, estar completamente unida contigo, não em corpo, mas em alma. Mas, claro, até ao momento em que me abraçaste. Será mesmo impossível descrever aquele momento?...
Quando finalmente ficamos sós, parece que ambos mudamos. Eu sei que finalmente podia retribuir todo aquele carinho sem medos e tu abriste-te àquilo que te dava. Ah, se pudesse repetia todos aqueles beijos. Se pudesse tocar-te-ia na mão para sempre; se pudesse ficar sentada ao teu lado, poder tocar-te quando quisesse, poder fingir-me cansada só para deitar a cabeça no teu ombros; se pudesse, novamente, olhar nos teus olhos, frente a frente e voltar a sentir aquele desejo de te beijar... Tanto que resisti àquela minha vontade de te tocar com os lábios, mas todo o meu mundo desabou quando te dei aquele beijo no rosto...
Foi tão intenso o primeiro abraço. Foi tão intenso deitares-me à areia. Foi tão intenso pegares na minha mão. Foi tão intenso sentir os teus beijos. Foi tão intenso estar contigo!
Despedir-me de ti foi como lutar contra a corrente – tinha de ir, mas não queria. Sabia, no entanto, que a despedida seria feita de um longo abraço e de mais um grande beijo. E, sim! Aquele abraço foi inesquecível. Forte e, mais uma vez, protector. Junto com aquele beijo que me fez chorar por dentro, veio o pensamento de que, se calhar, nunca mais voltaria a estar contigo. Então fechei a página do meu livro, afastei-me de ti e fui-me embora sem olhar mais para trás. Ficaram as marcas e as recordações. Ficou a ferida ainda aberta da esperança que ainda se mantém de voltar a estar contigo.